É um número desesperador, dramático, uma tragédia que atinge uma centena de famílias este ano, que dizima policiais militares sem que as autoridades saibam o que fazer. A falta de comando na segurança pública também assusta. Reina a incompetência que se junta à crise financeira. O resultado é devastador. E se 100 policiais militares foram assassinados é elementar que milhares de pessoas civis também tombaram nessa guerra mortal.

Minhas solidariedade às famílias dos policiais militares que tombaram no confronto com bandidos. O Rio de Janeiro precisa reagir. Não adianta só estampar capas de jornais chocantes. A população precisa expressar sua indignação, cobrar ações contra a violência e as organizações criminosas (traficantes e milicianos) que lotearam o Grande Rio, expulsando o poder público, que se ajoelha e se rende a esse poder absoluto. Basta!