Esses 26 deputados votaram contra a redução de 30% no salário de Pezão, Dornelles e secretários. Além disso foram contra o teto de R$ 28,7 mil para secretários e assessores cedidos, e mantiveram a farra de gastos com viagens aéreas, aluguel de carros e telefones celulares. Ou seja, o governo Pezão não quer cortar gastos e esses deputados aplaudem. O povo que morra nas filas dos hospitais, as crianças que voltem das escolas sem merenda, os servidores que se virem sem salário e cada um se vire para não ser assaltado ou atingido por uma bala perdida. A farra com o dinheiro público vai continuar.