Não se trata de nenhuma novidade. Em 2014 Cesar Maia concorreu ao Senado como candidato de Cabral, Pezão e Picciani, não arrumou nada, mas selou uma aliança com a quadrilha do PMDB. Tanto que no ano passado Rodrigo Maia andava pra cima e pra baixo com Eduardo Paes, participando ativamente da campanha de Pedro Paulo à Prefeitura do Rio.

Agora vem sendo costurada uma aliança ainda mais ampla, juntando os trapos do PMDB-RJ com a família Maia. Cesar Maia sairia candidato ao Governo do Estado, Eduardo Paes disputaria o Senado e Rodrigo Maia iria para a reeleição na Câmara para tentar se reeleger presidente e fazendo uma bancada mais expressiva para o DEM-RJ. Alguns ainda acham que Paes teria chance e querem ele como candidato a governador e Cesar Maia para o Senado. Tudo com a benção e o apoio de Michel Temer, na hipótese dele sobreviver. Cesar Maia, Rodrigo Maia, Michel Temer, Pezão, Sérgio Cabral, Eduardo Paes, Jorge Picciani. Todos juntos e misturados.

Vários deputados dizem que essa aliança seria uma forma do PMDB continuar no poder, usando a família Maia, sem parecer que a candidatura é do PMDB, ou seja, uma forma de "dourar a pílula". E claro, Cabral concordou, o acerto é para seu filho Marco Antônio se reeleger e voltar a ser secretário estadual. É pra tentar manter os esquemas mais 4 anos. Claro que vários empresários "parceiros" de negócios do PMDB se animaram com a ideia. Essa chapa deveria ser chamada "Me engana que eu gosto".