Leonardo Picciani e Marco Antônio Cabral; ao lado Moreira Franco
Leonardo Picciani e Marco Antônio Cabral; ao lado Moreira Franco

Com a prisão do "todo poderoso" presidente da ALERJ, agora licenciado, deputado Jorge Picciani, a presidência do MDB-RJ está temporariamente nas mãos do vice-presidente, o deputado federal Marco Antônio Cabral, filho de Sérgio Cabral. Mas não terá o comando do MDB-RJ por muito tempo. O ministro Moreira Franco já está se movimentando para tomar o partido no Rio, só aguarda a decisão do STF sobre o pedido de habeas corpus de Picciani. Caso o habeas corpus não saia, Moreira vai travar um duelo com o clã Picciani. Na hipótese de continuar preso, Jorge Picciani quer na presidência do partido seu filho Leonardo, atual ministro do Esporte, que deixará o cargo em abril para disputar a reeleição como deputado federal. Quem presidir o partido terá o controle do fundo partidário e do fundo eleitoral, consequentemente facilitando a vida dos candidatos que fizerem dobradinhas na eleição. E lembrando que Moreira Franco anda pensando em disputar vaga de deputado federal para garantir foro privilegiado.