O prefeito Eduardo Paes, na foto acima, brinca de professor durante a inauguração ontem, da reforma de uma escola. Embora a foto não mostre com muita nitidez, o que Paes escreveu no quadro foi: “Rio: Alegria com ordem”.

Perguntado pelos repórteres sobre como tinha recebido a crítica do ministro da Justiça, Tarso Genro à operação Choque de Ordem, que foi chamada de “uma bobagem sem consequência”, o prefeito disse uma bobagem. Segundo Paes, o ministro foi mal interpretado.

O que o prefeito devia explicar é a situação mostrada hoje, por O GLOBO, dos imóveis demolidos pela Operação Choque de Ordem. Alguns terrenos estão, há um ano, como o da foto abaixo. O imóvel foi demolido, mas os escombros e o entulho ficaram.

Agora pasmem, o “fiscal-chefe” Rodrigo Bethlem diz que a responsabilidade pelo recolhimento do entulho é do proprietário do imóvel demolido. É bom que se diga que vários prédios demolidos foram construídos em terrenos invadidos e quem está por trás é a milícia. Será que “Herr” Betlhem acredita que a milícia vai pagar para a COMLURB retirar o entulho?

Bem, a milícia não vai tirar nada e a prefeitura diz que a procuradoria vai acionar os proprietários na Justiça. Mas quem são os proprietários?

Enquanto isso, os vizinhos estão sendo obrigados a conviver com ratos, mosquitos e cobras, como mostra a reportagem. O Choque de Ordem tem que começar é dentro da prefeitura. São uns irresponsáveis.





Comentários