Reprodução do JB Digital
Reprodução do JB Digital


A Comissão Pastoral da Terra, da Igreja Católica está denunciando a covardia e a arbitrariedade que está acontecendo em S. João da Barra por conta das desapropriações de terra para Eike Batista construir o Complexo do Açu. Como poderão ver abaixo, em março eu já denunciava essa violência contra os pequenos agricultores de S. João da Barra. Eu, minha filha Clarissa Garotino e o ex-prefeito do município, Betinho Dauaire estivemos reunidos com os agricultores, em Água Preta. Mais de nove meses se passaram desde que fiz a denúncia e o MP não se mexeu.

Para vocês entenderem Cabral colocou até a PM para intimidar os agricultores. A prefeita de S. João da Barra, Carla Machado faz tudo o que Cabral quer e deu as costas para os pequenos agricultores, também os pressiona e ignora o drama de milhares de famílias na maior covardia. Os direitos não estão sendo respeitados, as pessoas estão sendo jogadas no meio da rua. É tudo na base da intimidação com a presença de policiais militares e o apoio da prefeita Carla machado.

E agora tem mais uma novidade. O escritório de advocacia contratado pela EBX, de Eike Batista para cuidar da parte jurídica é o Andrade & Fichtner, do secretário da Casa Civil de Cabral, Régis Fichtner, que tem à frente a sua irmã Vivianne Fichtner Pereira. É curiosa mais essa coincidência. As empresas que têm negócios com o governo Cabral parece que só conhecem dois escritórios de advocacia, o de Adriana Ancelmo Cabral, a mulher do governador; e o da família de Régis Fichtner, braço-direito de Cabral. Por que será?


Reprodução do Blog do Garotinho (28 de março de 2011)
Reprodução do Blog do Garotinho (28 de março de 2011)


Comentários