Visitantes online: 1141
logo topo

terça-feira, 19 de junho de 2018

19/06/2018

10:44

Rodrigo Maia comprará 2 800 xícaras de porcelana

Reprodução do blog Radar - Veja
Reprodução do blog Radar - Veja

.

19/06/2018

07:30

PF indicia Marcello Miller e Joesley Batista por corrupção

O ex-procurador da República Marcello Miller, o empresário Joesley Batista, sócio do Grupo J&F, e três advogados foram indiciados pela Polícia Federal no inquérito que investigou o envolvimento de Miller na elaboração dos acordos de colaboração premiada de executivos e ex-executivos do Grupo J&F enquanto ainda era membro do Ministério Público Federal.

Para o delegado Cleyber Malta Lopes, responsável pelo caso, há indícios suficientes de que Joesley Batista, Francisco de Assis, Fernanda Tórtima e Esther Flesch corromperam Marcelo Miller para obter ajuda no acordo de delação premiada de executivos da J&F.

O delegado da PF concluiu, ainda, que houve omissão por parte de Joesley Batista e de Francisco de Assis "sobre a real extensão dos atos praticados por Marcello Miller e a relação ilícita entre Miller e os investigados".


18/06/2018

16:07

Justiça condena Marcos Valério a 16 anos de prisão

O publicitário Marcos Valério foi condenado pela Justiça mineira a 16 anos e 9 meses de prisão pelos crimes de lavagem de dinheiro e peculato no esquema que ficou conhecido como Mensalão tucano.

Sócios de Marcos Valério na empresa de publicidade, Cristiano Paz e Ramon Hollerbach, também foram condenados no processo e receberam a mesma pena.

Os acusados foram condenados pelos crimes cometidos durante a campanha eleitoral pela reeleição de Eduardo Azeredo (PSDB) ao governo de Minas Gerais, em 1998.

De acordo com decisão da juíza Lucimeire Rocha, da 9ª Vara Criminal de Belo Horizonte, os condenados participaram do esquema de corrupção que desviou recursos da Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), da Companhia Mineradora de Minas Gerais (Comig) e do antigo banco estatal Bemge.

Para a magistrada, a empresa de publicidade SMP&B, que pertenceu aos acusados, dava aparência da legalidade aos recursos que eram repassados à campanha eleitoral, por meio de patrocínios de eventos esportivos.

18/06/2018

14:02

PF manda intimar homem encarregado de executar reforma para filha de Temer

O delegado da Polícia Federal Cleyber Malta Lopes mandou intimar Onofre Jesus Gimenes Secchi no inquérito que apura o pagamento de uma reforma feita na casa de Maristela Temer, filha do presidente Michel Temer, em 2014. Os investigadores querem saber a origem do dinheiro usado na reforma.

Em depoimento à PF no fim de maio, o arquiteto Luiz Eduardo Visani apontou Onofre como sendo o funcionário da Argeplan encarregado por Maria Rita Fratezi para "coordenar e administrar" funcionários que ele colocou à disposição para finalizar a segunda fase da obra da casa de Maristela Temer.

Maria Rita é mulher do coronel aposentado da polícia militar João Baptista Lima Filho, amigo do presidente Temer. Coronel Lima é dono da Argeplan, empresa de engenharia. Ele chegou a ser preso em março, na Operação Skala da Polícia Federal.

Onofre seria peça-chave na investigação por ser uma pessoa de confiança do coronel Lima. Ele também tem relações com Arlon Vianna, chefe de gabinete da Presidência da República em São Paulo. Arlon, hoje, é o principal interlocutor de Lima junto a Temer.

18/06/2018

12:03

Polícia encontra chocolates e pendrives na cela de Geddel e Luiz Estevão

A Polícia Civil do Distrito Federal encontrou chocolates importados, anotações e pelo menos cinco pendrives na cela do ex-senador cassado Luiz Estevão (DF) e do ex-ministro Geddel Vieira Lima (MDB) no Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília. Durante as buscas, Estevão jogou pela privada um pendrive, mas o dispositivo foi resgatado pelos policiais e passará por perícia.

O advogado de Geddel Vieira Lima disse que “estranha, mais uma vez, a defesa técnica não saber da operação antes da imprensa”. A defesa de Luiz Estevão alegou também desconhecer as buscas, e não quis se pronunciar.

A ação foi deflagrada após denúncia de presos de que os dois políticos estavam tendo regalias dentro da prisão. Em 2017, uma inspeção encontrou itens proibidos nas dependências utilizadas pelo ex-senador cassado, como chocolate, cafeteira elétrica, macarrão importado e cápsulas de café.

Luiz Estevão também é acusado pelo MP do DF de financiar a reforma do bloco onde cumpre pena na Papuda. Três ex-gestores do complexo penitenciário também são listados no processo, suspeitos de terem sido coniventes com o empreendimento.

18/06/2018

09:16

PF investiga ligação de partidos com fraude em repasses a sindicatos

A Controladoria Geral da União identificou fraudes em pelo menos três repasses de contribuição sindical, feitos pelo Ministério do Trabalho, a entidades e centrais.

O Solidariedade e o PTB foram responsáveis pelo destino de um total de 500 milhões de reais distribuídos pelo ministério.

Desde o fim de março, o caso passou a ser investigado pela Polícia Federal (PF). É uma segunda frente de investigações da PF, posterior à Operação Registro Espúrio, que desvendou um esquema de pagamento de propinas para liberação de registros sindicais.

17/06/2018

11:51

Após intervenção, número de tiroteios cresceu 36% no RJ

O Observatório da Intervenção Federal apresentou um relatório sobre os quatro meses de intervenção no Rio.
Segundo o balanço, as principais reclamações são o aumento de tiroteios — 36% a mais do que em fevereiro — e a falta de investimento em investigações e ações de inteligência.

Desde 16 de fevereiro foram registrados no Estado do Rio 3.210 tiroteios. Nos quatro meses anteriores haviam ocorrido 2.355.

17/06/2018

10:04

Grupo de combate à corrupção do MPRJ move ação pedindo o fim da Fetranspor

Reprodução do blog do Ancelmo Gois
Reprodução do blog do Ancelmo Gois

.

16/06/2018

08:20

Cabral, Messer e outros 60 acusados se tornam réus na Operação Câmbio, Desligo

O juiz Marcelo Bretas aceitou nesta sexta-feira a denúncia apresentada pelo Ministério Público Federal contra 62 acusados no âmbito da Operação Câmbio, Desligo, que mirou doleiros que operavam no mercado paralelo de câmbio e supostamente lavaram 1,6 bilhão de reais para organizações criminosas, incluindo a liderada pelo ex-governador Sérgio Cabral.

Preso há um ano e meio e já condenado a 100 anos de prisão em cinco processos, Cabral está entre os denunciados que se tornaram réus nesta sexta. O ex-governador responderá pelos crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e evasão de divisas. Também serão julgados o “doleiro dos doleiros”, Dario Messer, e outros operadores, como Antonio Cláudio Albernaz Cordeiro, Patrícia, Marco e Ernesto Matalon, os irmãos Marcelo e Roberto Rzezinski e Raul e Jorge Davies.

Ainda se tornaram réus Vinicius Claret, o Juca Bala, e Cláudio Fernando Barboza, conhecido como Tony, doleiros cujas delações premiadas basearam as investigações da Câmbio, Desligo.

15/06/2018

14:08

Dodge pede prorrogação de inquérito que investiga Temer

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, pediu nesta quinta-feira a prorrogação por mais 60 dias de inquérito que investiga o presidente Michel Temer por conta das delações premiadas de ex-executivos da Odebrecht. Também são investigados os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Minas e Energia).

O parecer, concordando com pedido anterior feito pela Polícia Federal, foi encaminhado ao relator da Operação Lava Jato no STF, ministro Luiz Edson Fachin. Caberá a ele decidir se a investigação será ou não prorrogada.

O caso se refere a um jantar no Palácio do Jaburu em maio de 2014, em que se teria acertado o repasse ilícito de R$ 10 milhões ao MDB. De acordo os delatores da Odebrecht, teriam participado da reunião Eliseu Padilha, o então presidente da empreiteira Marcelo Odebrecht, o ex-executivo Cláudio Melo Filho, e o então vice-presidente Michel Temer.

De acordo com o depoimento de Cláudio Melo Filho ao Ministério Público Federal, no encontro, Temer pediu "direta e pessoalmente" a Marcelo Odebrecht apoio financeiro para as campanhas do MDB em 2014. O repasse do dinheiro, segundo depoimentos dos delatores da Odebrecht, seria uma forma de pagar pelos interesses da empresa atendidos pela Secretaria de Aviação Civil, comandada entre 2013 e 2015 por Eliseu Padilha e Moreira Franco, hoje secretário-geral da Presidência da República.

15/06/2018

11:21

Eduardo Paes será testemunha de Nuzman

Reprodução do blog do Ancelmo Gois
Reprodução do blog do Ancelmo Gois

.

15/06/2018

08:23

Moro aceita denúncia contra nove investigados em nova fase da Lava-Jato

O juiz Sergio Moro aceitou denúncia contra nove pessoas, entre ex-funcionários da Petrobras e operadores de propina, investigados na 51ª fase da Lava Jato, batizada de "Deja Vu". Eles são acusados de corrupção, lavagem de dinheiro e associação criminosa.

Segundo o Ministério Público Federal, o departamento de propina da Odebrecht pagou cerca de US$ 24,7 milhões em vantagens indevidas a ex-executivos da Petrobras e da Odebrecht. Outros US$ 32 milhões teriam sido destinados a políticos do PMDB, que, segundo Moro, ainda não foram completamente identificados.

Em depoimento de delação premiada, Marcio Faria, delator da Odebrecht, afirmou que o presidente Michel Temer, que na época era candidato a vice na chapa de Dilma Rousseff, participou de reunião em julho de 2010 para discutir o valor, que chegava a US$ 40 milhões para o PMDB, e delegou a Eduardo Cunha e a Henrique Eduardo Alves, então deputados e presentes ao encontro, a tarefa de operacionalizar os repasses, que representavam uma taxa de 5% sobre o valor dos contratos.

14/06/2018

14:09

STJ nega novo pedido de revogação da prisão preventiva de Eduardo Cunha

Reprodução do blog do Ancelmo Gois
Reprodução do blog do Ancelmo Gois

.

14/06/2018

11:49

Cavendish é condenado a 4 anos de prisão por desvios milionários

O dono da empreiteira Delta, Fernando Cavendish, e o bicheiro Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, foram condenados nesta quarta-feira por lavagem de dinheiro e associação criminosa no processo da Operação Saqueador, que apurou a lavagem de dinheiro da empreiteira. O juiz Marcelo Bretas estabeleceu uma pena de quatro anos, dois meses e dez dias para Cavendish e de nove anos e seis meses para Cachoeira.

Cavendish foi acusado de ter gerado R$ 370 milhões para o caixa dois da Delta por meio de lavagem de dinheiro com as empresas de Carlinhos Cachoeira e de Adir Assad. Cavendish é réu confesso no processo. Ele reconheceu os crimes e declarou que parte dos recursos foi usado para pagar propina ao ex-governador Sérgio Cabral. Na sentença, o juiz fala que o empreiteiro era o principal líder do esquema criminoso.


14/06/2018

08:45

PF atribui a Temer obstrução de Justiça em compra do silêncio de Cunha

No relatório final da Operação Cui Bono, que investiga irregularidades na Caixa Econômica Federal, a Polícia Federal ressaltou o envolvimento do presidente Michel Temer na tentativa de compra de silêncio do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha e do operador Lúcio Funaro.

A acusação é baseada na delação premiada do empresário Joesley Batista, da J&F, que afirmou ter feito pagamentos de R$ 5 milhões após a prisão de Eduardo Cunha como saldo da propina de R$ 20 milhões relacionado à desoneração tributária do setor do frango. Também narrou pagamentos mensais de R$ 400 mil em benefício de Funaro. Ele relata que Temer tinha ciência disso. Ao ouvir de Joesley sobre os pagamentos, o presidente teria dito: "Tem que manter isso aí, viu?"

13/06/2018

16:14

TCU aprova com ressalvas contas do governo Temer

O Tribunal de Contas da União aprovou o relatório parcial do ministro Vital do Rêgo, que pede a aprovação, com ressalvas, das contas apresentadas pelo presidente Michel Temer, referentes ao ano de 2017.

O documento faz 24 recomendações, 22 ressalvas e quatro alertas às contas governamentais. No documento, o relator diz que falta ao governo demonstrar se, de fato, as desonerações tributárias têm apresentado os resultados positivos desejados.

PrimeiroAnterior1 2 3 4 5 6 ProximoUltimo