Visitantes online: 934
logo topo

domingo, 19 de novembro de 2017

18/11/2017

11:32

Garotinho fará live daqui a pouco, às 14 horas, para falar sobre a soltura dos deputados do PMDB e a propina paga pela Globo

Garotinho fará live daqui a pouco, às 14 horas para falar sobre a soltura dos deputados do PMDB e a propina paga pela Globo

Hoje às 14 horas estarei fazendo uma transmissão (live) pelo Facebook onde irei tratar de vários assuntos, entre eles, a votação de ontem que tirou da prisão os três deputados do PMDB, Jorge Picciani, Paulo Melo e Edson Albertassi, inclusive mostrando a ilegalidade de terem sido liberados sem alvará de soltura; as medidas disciplinares que o PR irá adotar contra os deputados que se posicionaram a favor da revogação da prisão dos corruptos do PMDB; a publicação ontem à noite pelo STF do acórdão da decisão do caso do Aécio Neves onde o ministro-redator do acórdão, Alexandre de Moraes que a decisão só vale para senadores e deputados federais.

Vamos falar ainda sobre a sucessão de mentiras que as Organizações Globo e seus paus-mandados vêm desferindo contra mim desde a confirmação de que a Globo pagava propina para obter os direitos de transmissão da Copa do Mundo, da Copa das Confederações e da Taça Libertadores das Américas, além de outros assuntos importantes da política nacional e do nosso estado.

Conto com a sua participação, desde já pedindo que avise aos seus amigos pelo Facebook.com/garotinhooficial

18/11/2017

10:41

Rio de Janeiro envergonhado

Charge de Latuff e a capa do jornal Extra
Charge de Latuff e a capa do jornal Extra

Essa manchete tem dois sentidos. Primeiro porque os 39 deputados estaduais que votaram pela soltura dos deputados Jorge Picciani, Paulo Melo e Edson Albertassi envergonharam o Rio. E depois porque muita gente nas redes sociais está se dizendo envergonhada diante da bandalheira que tomou conta do Rio de Janeiro. Um pouco talvez, acredito eu, porque o confronto com a realidade do assalto aos cofres públicos praticado pelo PMDB e a quadrilha de Cabral, com todas as ilegalidades e redes de proteção para lhes garantir impunidade, faz com que muitos se envergonhem de não terem percebido nada, de terem se deixado levar pelo marketing e acreditado que o Rio de Janeiro vivia a "Era de Ouro", como colocou o Globo numa manchete da capa. Cansei de denunciar a roubalheira, mostrar a corrupção desenfreada sem que me dessem ouvidos, muitos até duvidavam, mas reconheço que a blindagem da mídia, o bombardeio do marketing taparam os ouvidos e os olhos da maior parte da população.

Aliás, o cartunista Latuff, do Brasil 247 nos enviou essa charge feita para o nosso blog, agradeço desde já, que retrata o que eu disse. Até o Cristo Redentor se sente envergonhado. É realmente muito triste, é importante e legítimo que as pessoas manifestem sua revolta nas redes sociais, mas é preciso se conscientizar que não vamos mudar o nosso estado, dar um basta nessa situação degradante que vivemos, apenas expressando o descontentamento, a indignação apenas via Facebook, Whatsapp e Twitter.

17/11/2017

19:02

Deputados podem voltar a ser presos

O ministro do Supremo Tribunal Federal, Marco Aurélio Melo afirmou agora há pouco que o “caso Aécio” em que o Senado revogou pedido de prisão do senador Aécio Neves (PSDB-MG) não se aplica às Assembleias Legislativas porque foi “estrita a deputados federais e senadores, relativa à submissão à respectiva Casa Legislativa da prisão flagrante”.

O ministro Marco Aurélio ainda fez um alerta: “Espero que tenham juízo e isso não chegue ao Supremo”.

O artigo 53 da Constituição Federal invocado pelos defensores da soltura dos deputados é claríssimo em seu parágrafo 2º: ”Desde a expedição de diploma, os membros do Congresso Nacional não poderão ser presos, salvo em flagrante de crime inafiançável. Neste caso os autos serão remetidos dentro de 24 horas à Casa respectiva, para que, pelo voto da maioria de seus membros, resolvam sobre a prisão.”

Está claríssimo, trata de “membros do Congresso Nacional” e mesmo que as Assembleias Legislativas façam leis estendendo o benefício aos deputados estaduais essa questão ainda está pendente de análise no Supremo Tribunal Federal.

Como vimos hoje à tarde, e em duas situações já ocorridas em outros estados brasileiros, onde deputados estaduais foram soltos por seus colegas, levar a literalidade da lei federal para todos os estados é decretar a impunidade geral. Vou mais além, se as 5.553 Câmaras de Vereadores, também por analogia às leis estaduais, disserem que a imunidade prevista na Constituição somente aos membros do Congresso Nacional vale também para os vereadores a farra será geral.

Antes se encerrar este ano legislativo o STF deve se pronunciar rapidamente sobre essa questão, como fez recentemente em relação ao caso dos governadores, declarando inconstitucionais as leis estaduais que proibiam a abertura de investigação contra eles sem autorização das respectivas assembleias legislativas. É por isso que hoje o Superior Tribunal de Justiça investiga diversos governadores, inclusive Luiz Fernando Pezão. Não é possível que o foro descrito no artigo 53 da Constituição Federal sirva de escudo para a prática de crimes, trapaças e todo o tipo de roubalheira do dinheiro público, como é evidente no caso do Estado do Rio de Janeiro.



17/11/2017

17:02

Nota da Executiva Estadual do PR

Diante do posicionamento contrário à orientação partidária, adotado pelos deputados estaduais Renato Cozzolino e Nivaldo Mulim, que votaram pela revogação da prisão de Jorge Picciani, Paulo Melo e Edson Albertassi, esta comissão encaminhará à Justiça Eleitoral a expulsão dos referidos parlamentares dos quadros do PR. Quanto ao deputado Bruno Dauaire, que se absteve, também contrariando a orientação da Executiva Estadual, porém não contribuindo para o placar favorável aos deputados presos, será encaminhado à Comissão de Ética para avaliar sua conduta.

17/11/2017

16:15

AO VIVO - ALERJ decide se mantém prisão de deputados

17/11/2017

15:43

A Globo continua achando que o povo é bobo

Charge de Aroeira, do jornal O Dia
Charge de Aroeira, do jornal O Dia

Vários colunistas do Globo no dia de hoje, de forma até leviana, tentam comparar as situações entre eu e Sérgio Cabral. Pensam que seus leitores são idiotas. Ao contrário de Sérgio Cabral que tem centenas de provas de enriquecimento ilícito, corrupção, lavagem de dinheiro, contra mim nunca houve nenhuma acusação de enriquecimento ilícito, existência de conta no exterior ou corrupção. O que estaria por trás disso?

Tentam me intimidar no momento em que a Globo é acusada de pagar propina de R$ 50 milhões para obter os direitos de transmissão dos jogos da Copa do Mundo e outros eventos, fato que eu já venho denunciando há muito tempo. Aliás, assistam a matéria do Jornal da Record.



Essa tentativa junta-se a outra de esconder os principais pontos da delação do marqueteiro do PMDB-RJ Renato Pereira e confundir a opinião pública, dizendo que pessoas que já trabalharam comigo no passado receberam recursos supostamente ilícitos, mas já na era de Sérgio Cabral como governador.

Já que a Globo tenta esconder os fatos principais da delação de Renato Pereira, tratando de assunto de secretárias e outras coisinhas menores, trago a vocês agora um resumo das maracutaias, essas sim grandiosas praticadas por Cabral, Pezão, Paes, Picciani junto com o dono da Prole Renato Pereira.

Vejam as duas matérias publicadas aqui no blog e em seguida eu sigo comentando.

Reprodução do Blog do Garotinho
Reprodução do Blog do Garotinho


Reprodução do Blog do Garotinho
Reprodução do Blog do Garotinho


Será que as Organizações Globo pensam que seus leitores, telespectadores e ouvintes são imbecis ao ponto de acreditarem que alguém que trabalhou comigo em 2002 recebe uma vantagem, supostamente indevida sete anos depois, de um inimigo político declarado, tem alguma relação comigo?

As Organizações Globo estão em maus lençóis tanto na apuração das propinas para a Copa do Mundo, Copa das Confederações e Taça Libertadores da América, e na própria delação de Renato Pereira, cujo sigilo, agora levantado, mostrará que o ex-prefeito Eduardo Paes e o ex-governador Sérgio Cabral destinaram diretamente ou por vias transversas milhões de reais que beneficiaram as empresas da família Marinho.

Não chego ao ponto dos radicais que querem a cassação da concessão da TV Globo, mas querer um tratamento diferenciado de todos os outros casos de propina, onde a emissora diz que ela mesmo apurou se houve ou não pagamento de propina por parte dos seus diretores, e conclui que não houve, inocentando a si própria, é no mínimo se achar acima da lei. A Globo deveria fazer como eu, pedir que as autoridades que apontam os crimes de que é acusada mostrem as provas, mas ela não pode porque sabe que cometeu os crimes nega.

Aliás, todos se lembram quando, ao vivo, eu disse que a Globo sonegava impostos e a jornalista negou, mas poucos dias a emissora pediu parcelamento e começou a pagar os impostos que dizia que não devia.



17/11/2017

13:23

Garotinho comenta prisão de deputados e a roubalheira do PMDB-RJ



17/11/2017

11:38

A hora da verdade para os deputados estaduais

Reprodução da capa do Extra
Reprodução da capa do Extra

Excelente a capa do jornal Extra de hoje. É uma espécie de cartilha para a população marcar o voto de cada um dos 70 deputados estaduais aptos a votarem hoje na sessão marcada para 15h, que vai decidir sobre a prisão de Jorge Picciani, Paulo Melo e Edson Albertassi.

A sessão será presidida pelo 1º Vice-presidente, Wagner Montes que ainda não decidiu se as galerias serão abertas à população. Do lado de fora haverá manifestação, a partir de 13h, para pressionar os deputados. Mas sabemos que será um jogo de cartas marcadas e haverá bem mais do que os 36 votos necessários à soltura dos três deputados presos em Benfica.

Repito o que disse no meu programa na Rádio Tupi. É legítimo e democrático as pessoas protestarem e pressionarem os deputados, mas tem que ser dentro da ordem.

17/11/2017

09:35

Fala Garotinho (Sexta, 17/11/2017)

16/11/2017

21:49

Picciani, Paulo Melo e Albertassi são levados para presídio vip de Benfica

Os três deputados já estão no presídio vip de Benfica onde ficarão na mesma galeria de Sérgio Cabral e seus ex-secretários Wilson Carlos, Sérgio Côrtes e Hudson Braga, o Braguinha, além de Jacob Barata, o "rei dos ônibus" e Lélis Teixeira, ex-presidente da Fetranspor, e vários operadores do esquema de propinas e lavagem de dinheiro. Muita gente não acreditou que isso um dia aconteceria.

A sessão extraordinária da ALERJ que vai votar a prisão foi marcada para as 15h. Pela manhã a Comissão de Constituição e Justiça vai elaborar um parecer, que, é óbvio, será contrário à prisão. Aliás, o PMDB vai indicar novo presidente e mais integrante da comissão.




16/11/2017

19:30

PR fecha questão na votação sobre prisão de deputados

Garotinho em reunião recente do PR-RJ
Garotinho em reunião recente do PR-RJ

Como presidente regional do PR telefonei hoje ao líder de nossa bancada, deputado Bruno Dauaire comunicando que a posição do nosso partido é pela manutenção da decisão do Tribunal Regional Federal, que decretou a prisão dos deputados Jorge Picciani, Paulo Melo e Edson Albertassi. Quem fugir à orientação partidária estará sujeito a expulsão do PR, conforme prevê o nosso estatuto.

16/11/2017

18:19

Amanhã cada deputado estadual vai mostrar a quem deve o seu mandato: ao povo ou a Picciani?

Jorge Picciani e Paulo Melo se entregando à Polícia Federal agora há pouco; Edson Albertassi chegando no dia da condução coercitiva (hoje entrou de carro particular pelo estacionamento e a imprensa não registrou imagem da chegada)
Jorge Picciani e Paulo Melo se entregando à Polícia Federal agora há pouco; Edson Albertassi chegando no dia da condução coercitiva (hoje entrou de carro particular pelo estacionamento e a imprensa não registrou imagem da chegada)

A decisão unânime do Tribunal Regional Federal em decretar a prisão imediata dos deputados Jorge Picciani, Paulo Melo e Edson Albertassi tem que ser entendida à luz do que diz o direito brasileiro sobre o assunto. A Constituição afirma que os deputados e senadores só podem ser presos por crime inafiançável cometido em flagrante. Ocorre que o pedido de prisão apresentado pelo Ministério Público Federal, e acolhida pela unanimidade dos membros da Seção Criminal do TRF, acusa com detalhamento de provas que os três deputados comandam uma organização criminosa que está em plena atividade, conforme está relatado pelo MPF, dizendo que só nos últimos meses o deputado Jorge Picciani recebeu R$ 18 milhões somente da Fetranspor. Ou seja, a organização criminosa estava cometendo crime permanente, continuado, o que é um claro caso de flagrante, e o dever da Justiça era interromper a atividade delituosa para evitar que continuassem saqueando o Estado, obtendo patrimônio pessoal através de desvio de recursos públicos e atuando em desfavor da população conforme está amplamente demonstrado no pedido de prisão formulado pelo MPF.

É claro que o Direito não é uma ciência exata, há margem para questionamentos sobre a existência ou não do flagrante. Na minha opinião, que li tanto a decisão do desembargador Abel Gomes, que autorizou a Operação Cadeia Velha, como a denúncia do Ministério Público Federal não há a menor dúvida que a medida tomada foi acertada e a única possível para impedir que a organização criminosa continuasse atuando com tentáculos em todos os poderes do Estado. Vocês que leem o meu blog há muitos anos já conhecem boa parte dos crimes cometidos pelos acusados. Não é à toa que no documento do MPF as minhas denúncias são citadas 19 vezes para embasar o pedido de prisão dos três deputados. A decisão do TRF foi técnica, não política. A organização criminosa, conforme descrito no Código Penal, vinha praticando crime permanente, o que significa que o grupo criminoso se encontra em flagrante durante o tempo em que estiver atuando, no caso dos três deputados a quadrilha estava em pleno funcionamento. Tanto é verdade que um deles, Edson Albertassi, ia ser indicado para o Tribunal de Contas do Estado numa clara tentativa de obstruir a Justiça pois haveria o deslocamento deste processo para o STJ, que é o foro competente para processar e jugar conselheiros do Tribunal de Contas. A Justiça agiu corretamente.

Independente da questão legal é preciso que a população perceba o mérito desta decisão. Há dúvida para algum cidadão que conhece o que aconteceu nos últimos anos no Estado do Rio de Janeiro que Jorge Picciani tornou-se milionário na mesma proporção em que o nosso estado faliu? Alguém duvida que o deputado Paulo Melo construiu o patrimônio invejável que possui de forma ilícita? Há algum inocente que conhece a política que possa acreditar que a indicação do deputado Edson Albertassi para o TCE era uma forma de proteger o grupo que levou o Estado à falência, cometendo as mais diversas falcatruas?

Os crimes que até agora escandalizaram o povo do nosso estado e do Brasil são café pequeno perto do que ainda está para vir à tona.

Confiantes na impunidade, Sérgio Cabral e seus liderados praticaram o maior assalto aos cofres públicos que se tem notícia na história de um estado brasileiro.

Na saúde tanto o governo estadual quanto o municipal do Rio, sob o comando de Eduardo Paes, desviaram cifras bilionárias que hoje estão adormecidas em paraísos fiscais; o falso ufanismo criado pela Copa do Mundo e a Olimpíada foi pretexto para todo o tipo de roubo, desvio, trapaça, que resultou na destruição das finanças estaduais. Esquema de precatórios, os depósitos judiciais sacados ao arrepio da lei, os incentivos fiscais irresponsáveis concedidos até mesmo a termas e ao cabelereiro da mulher do ex-governador; as vacas, os embriões, os clones, que fizeram o enriquecimento vertiginoso da família Picciani, nada disso pode ser esquecido ou mesmo ignorado.

Amanhã na sessão da ALERJ os deputados terão que fazer uma opção. Ou votarão sob a ameaça do deputado Picciani, o “senhor do destino”, “aquele que tudo sabe”, “aquele que tudo pode”, que manteve a sua liderança à base do dinheiro e do medo ou dirão ao povo do Estado do Rio de Janeiro: Chega! É hora de recomeçar uma nova história no nosso estado.

Em tempo: A sessão que vai decidir se aceita a prisão dos três deputados ainda não foi marcada. A ALERJ já foi notificada da prisão. A sessão pode ser amanhã ou no sábado, e existe ainda possibilidade de ser no domingo ou até mesmo na segunda. Ainda há definição.

16/11/2017

16:33

Loucura, loucura, loucura!

Bem, tem doido para tudo. Essas duas faixas, pró-inocência de Cabral, na Barra da Tijuca, e pró-Sarney, em Brasília são simplesmente inacreditáveis. No caso de Cabral é um grupo organizado pelo deputado Marco Antônio Cabral, filho do ex-governador, já com relação ao ex-presidente deve ser alguém saudoso.

16/11/2017

15:08

Tribunal Regional Federal decide pela prisão imediata de Picciani, Paulo Melo e Albertassi

Reprodução do Globo
Reprodução do Globo

Por 5 votos a 0 o TRF aceitou o pedido de prisão dos deputados Jorge Picciani, Paulo Melo e Edson Albertassi. Depois daremos mais detalhes.

16/11/2017

11:55

Encontro Marcado com Garotinho (Quinta, 16/11/2017)

16/11/2017

09:25

Fala Garotinho (Quinta, 16/11/2017)

PrimeiroAnterior1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 ProximoUltimo