Visitantes online: 2
logo topo

segunda-feira, 22 de julho de 2019

05/02/2018

13:17

Garotinho fala da mobilização pelo impeachment do prefeito de Campos, Rafael Diniz

05/02/2018

13:14

Fala Garotinho Especial

Garotinho fala do rumo político após saída do PR

02/02/2018

15:01

As quentes do momento


Folião na moita

Apaixonado pela Portela, Eduardo Paes não deve dar as caras no carnaval do Rio. O motivo: medo da Lava Jato que avança sobre sua gestão na Prefeitura do Rio. A um amigo próximo, Paes disse: “Posso dançar duas vezes, na avenida e em Benfica”.



Tiro no pé

O STJ está pedindo à força-tarefa da Lava Jato no Rio diversas informações sobre o governador Pezão. O risco dele ser preso nos próximos meses é grande. Quem viu o arsenal de informações enviado ao ministro Félix Fischer afirma que a munição não fica a dever nada às aventuras cabralescas.



O bloco do Rivotril

É grande a ansiedade em algumas repartições do Rio, todas na expectativa de serem alvo da próxima etapa da Lava Jato. A saber: ALERJ, Câmara de Vereadores do Rio, Tribunal de Contas do Município, e ex-secretários de Eduardo Paes, com prioridade para a área de saúde. Há também uma lista de empresários tomando uma cartela de Rivotril por dia. Tá feia a coisa!



Ladeira abaixo

Depois do secretário estadual de Fazenda pedir o boné e deixar o governo, há uma fila também pedindo para sair. A dúvida é se o motivo é a situação financeira do estado ou a situação criminal do governador. De qualquer forma, pelo menos três devem deixar o governo nas próximas semanas.


Vereador Marcão e prefeito Rafael Diniz
Vereador Marcão e prefeito Rafael Diniz

Os cobradores de impostos

O prefeito de Campos, Rafael Diniz e o líder dos vereadores da situação, Marcão ganharam um novo apelido. Depois de aumentarem a taxa de luz, em média 250%; a taxa de lixo, 200% em média; a conta de água em esgoto, 135% acima da inflação; e o IPTU numa média acima 100%, agora estão sendo chamados de “discípulos de Mateus”, que na Bíblia era o cobrador de impostos. O problema é que o sobrenome irrita o prefeito e também causa irritação ao secretário de Trabalho, que nunca trabalhou, Gustavo Matheus. Aliás, a preocupação da turma de Fanfarrael Diniz é grande com o ato convocado pela sociedade civil para o próximo dia 8, onde será pedido na Câmara e na Justiça o impeachment do atual prefeito.

01/02/2018

21:30

É hora da verdade com Garotinho

01/02/2018

13:34

A candidatura de Garotinho ao Governo do Rio

Reprodução da Veja Rio
Reprodução da Veja Rio

31/01/2018

21:26

Bate-papo com Garotinho

31/01/2018

15:09

Finalmente, TRE-RJ investiga juiz de Campos

Reprodução do Diário da Planície
Reprodução do Diário da Planície

31/01/2018

12:37

Garotinho é notícia no jornal O Dia

Reprodução de O Dia
Reprodução de O Dia

31/01/2018

09:32

O amor de Rosinha pela cidade e pelo povo de Campos

Reprodução do Blog de Ralfe Reis
Reprodução do Blog de Ralfe Reis

30/01/2018

12:03

Garotinho confirma candidatura ao governo estadual: "Não existe plano B. Ou vai ou racha!"

Nessa entrevista ao Nosso Jornal o ex-governador Anthony Garotinho esclarece situações importantes e afirma que está preparado para tirar o Estado do Rio da falência, como fez em 1999 após o Governo Marcello Alencar, e que suas 3 prisões no ano passado foram uma vingança do grupo de Sérgio Cabral e Picciani pelas denúncias que fez à Procuradoria da República em Brasília.

Com seu estilo contundente e firme ele desafia seus adversários "mostrem uma fazenda, uma mansão, conta no exterior ou qualquer sinal de enriquecimento ilícito da minha parte. Não mostram, pois não existe, minha honestidade já foi testada e comprovada."

O senhor disputará a próxima eleição?

Sim, serei candidato a Governador. Com respeito aos demais pretendentes, nenhum dos nomes colocados tem o conhecimento para tirar o estado dessa situação de calamidade e descontrole que Cabral e PEZÃO meteram o Rio. É preciso preparo, conhecimento e maturidade. Estou pronto para esse desafio.

O plano de recuperação fiscal assinado por PEZÃO e TEMER é a solução?

É um desastre. A maioria das pessoas nem leram o plano. Não sabem que amarra o crescimento do estado, massacra ainda mais o funcionalismo e aumenta violentamente o endividamento do Estado. É de uma irresponsabilidade total, será necessário renegociar a dívida do Estado e construir uma nova solução, como fizemos em 1999. Mas a vantagem do Rio é que temos um potencial extraordinário.

Com tantos problemas vai começar por onde?

A situação fiscal do Estado é o ponto central. Acabar com a farra dos incentivos, da sonegação e da corrupção. Creio que renegociando a dívida pública e os contratos com os fornecedores rapidamente retornaremos a capacidade de investimento em segurança, educação e saúde e articularemos com os municípios uma nova rede de proteção social, com programas voltados a complementação de renda, apoio às famílias com dependentes químicos, e principalmente a volta das farmácias e restaurantes populares. É urgente salvar nossas universidades e a FAETEC, destruídas por Cabral e PEZÃO. Há muita coisa por fazer, mas primeiro é necessário coragem para romper com as máfias infiltradas no ESTADO para voltarmos a crescer e investir. Ainda falta muita gente ser presa e o patrimônio ser restituído ao estado.

Quem?

Com certeza o atual Governador PEZÃO, o ex-prefeito Eduardo Paes, pelo menos duas dezenas de deputados estaduais, muitos empresários e ex e atuais prefeitos. A Lava Jato no Rio é um poço profundo, muita água ainda vai rolar.

O senhor não teme que sua prisão prejudique sua campanha?

Está claro para a população que a perseguição contra mim tem origem no grupo do ex-governador Sérgio Cabral e em setores que denunciei e ainda não foram alvos de investigação. Querem me calar, me intimidar, mas não conseguirão.

O PR destituiu a direção estadual. E agora?

A vida segue. As pessoas sabem que sou nacionalista, trabalhista, um humanista preocupado com o povo. Fui para o PR porque os partidos no Estado foram em sua grande maioria comprados por Cabral e Paes. O povo sabe quem é quem, os políticos é que estão preocupados com os partidos, o povo quer saber do seu trabalho, da escola dos seus filhos, do trem que não funciona, do preço caro das passagens de ônibus, dos hospitais onde falta tudo, da guerra que estamos vivendo nas ruas de todas as cidades do Estado. O sofrimento e a falta de esperança nunca foram tão grandes.

Mas sem partido não dá para disputar a eleição?

É verdade, mas não vou vender meus princípios a nenhuma sigla. Apesar de ter 57 anos, continuo acreditando em valores, princípios, em um país justo, a desigualdade no Rio é um desafio enorme que precisa de um administrador que tenha a capacidade de olhar as pessoas além das estatísticas, são milhares de jovens que estão sem rumo, sem sonho. É principalmente por eles que sou candidato.

Mas vai para qual partido?

Ainda não sei. Vou decidir essa questão depois do carnaval. Até lá vou ouvir meus companheiros e principalmente ouvir o povo. Fiz um compromisso comigo mesmo, não irei para nenhum partido que tente sufocar minha rebeldia contra essa profunda desigualdade que vivemos.
Quero liberdade para sonhar e falar o que for preciso, não importa se é contra a GLOBO ou outro poderoso, meu lado profético no sentido de denunciar o que está errado é o que dá sentido a minha vida política, se perder o sonho, a utopia, viro um morto vivo. Disso o Brasil está cheio.

Quer dizer não há plano B?

Não existe. Não estou correndo atrás de um cargo e sim de um sonho. Serei o governador da esperança, da justiça, da paz. Do servidor que foi humilhado, do empresário que foi roubado, do povo que foi trocado por uma Copa do Mundo e uma Olimpíada. Eu avisei, isso aí é para roubar, mas a lavagem cerebral foi enorme, muita gente se iludiu e a gangue dos guardanapos ganhou a eleição. Agora a conversa é outra, ouço de muita gente que de boa fé votou nos bandidos que destruíram nosso ESTADO."O cara falou a verdade e perdeu a eleição, mas o Garotinho tinha razão."
Agora ou vai ou racha.

27/01/2018

10:26

A perseguição continua

Reprodução do site O Antagonista
Reprodução do site O Antagonista

25/01/2018

20:05

Justiça do Rio ignora CNJ e não apura áudio de juiz de Campos, que acusou ministro Gilmar Mendes de ter recebido "mala grande de dinheiro"

Reprodução do Diário da Planície
Reprodução do Diário da Planície

24/01/2018

13:12

Até o Globo se rendeu aos fatos

Editorial publicado na edição impressa do jornal O Globo
Editorial publicado na edição impressa do jornal O Globo

23/01/2018

15:32

Lava Jato chegando mais perto de Eduardo Paes

Na investigação que levou a nova prisão do ex-secretário de Obras de Eduardo Paes, Alexandre Pinto foi descoberta uma conta no Panamá com US$ 1,5 milhão. Não custa lembrar que cansei de denunciar as contas abertas no Panamá pela família de Eduardo Paes, que nunca conseguiu justificar a origem de US$ 8 milhões. Aliás, Eduardo Paes pode ir se preparando porque além da corrupção na obras está sendo investigado pelos esquemas da Olimpíada, das empresas de ônibus, das organizações sociais na saúde, além das verbas da publicidade, via Renato Pereira, que fez delação premiada, isso só pra citar os principais.

Reprodução do Blog do Garotinho
Reprodução do Blog do Garotinho


23/01/2018

12:47

Duas partes da mesma laranja

Cabral e Paes; abaixo reprodução do UOL
Cabral e Paes; abaixo reprodução do UOL
Na denúncia que apresentei em 2012 à Procuradoria Geral da República ficava claro que os métodos utilizados por CABRAL eram replicados por Eduardo Paes na Prefeitura do Rio. A corrupção gigantesca ocorrida na esfera estadual era repetida metodicamente na prefeitura carioca, especialmente em 3 áreas: obras, saúde e publicidade.

Até os personagens em alguns casos são os mesmos.

O mesmo REI ARTHUR que reinou nos contratos do ESTADO com CABRAL, deitou e rolou na PREFEITURA com EDUARDO PAES.

As Organizações Sociais que roubaram milhões da saúde estadual com Sérgio Côrtes, se lambuzaram na corrupção das clínicas da família e hospitais cariocas. E o mesmo marqueteiro, Renato Pereira, torrou os milhões de CABRAL e PAES num esquema violentíssimo de uso indevido de dinheiro público.

A mesma operação dos ônibus na ALERJ funcionou na Câmara de Vereadores, sob o comando dos aliados de EDUARDO PAES.

A CORRUPÇÃO da gestão municipal de EDUARDO PAES não fica devendo nada ao monstruoso esquema de CABRAL no ESTADO.

A diferença de estilo foi o que levou CABRAL a ser pego primeiro, a "corrupção ostentação" do governador contrastava com o "rouba quieto" do ex-prefeito do Rio.

No restante são iguais, na verdade duas partes da mesma laranja.

22/01/2018

13:25

Intervenção no diretório do PR-RJ foi tramada com Cabral e Picciani em Benfica

Reprodução da Época online
Reprodução da Época online
Como disse anteriormente, o PR nacional "se vendeu" ao governo Temer e ao PMDB. Daí não ser nenhuma surpresa a trama orquestrada em Benfica onde ficaram juntos Sérgio Cabral, Jorge Picciani e Paulo Melo, o alto comando do agora MDB-RJ com o presidente nacional do PR, Antônio Carlos Rodrigues.